6 de mai de 2014

Feijões:




Era uma vez, um homem que tinha uma paixão terrível por feijões cozidos, ele os adorava, mas provocavam uma situação um pouco embaraçosa no homem.

Um dia, ele conheceu uma garota e se apaixonou. Quando estavas tudo certo que eles iam se casar, ele pensou: “Ela nunca vai se casar comigo se eu continuar deste jeito”.

Então ele fez um supremo sacrifício e largou dos feijões. Pouco tempo depois eles se casaram. Passado alguns meses, no caminho de volta para casa, o carro quebrou e, como morava fora da cidade, telefonou para sua esposa e disse que chegaria atrasado, pois teria que voltar a pé. No caminho de volta para casa, passou por um pequeno restaurante e sentiu um aroma maravilhoso de feijões cozidos que o atingiu mortalmente.

Como tinha que andar alguns quilômetros até sua casa, pensou que qualquer efeito negativo teria passado antes de chegar. Então entrou e pediu três porções grandes de feijões. Durante todo o caminho para casa peidou. Quando chegou, já se sentia seguramente melhor. 

Sua esposa o encontrou na porta e parecia bastante feliz. Ela disse: “Querido, eu tenho a maior surpresa para você no jantar de hoje”. Ela colocou uma venda nele e o acompanhou até a cadeira da mesa de jantar, fazendo-o sentar e prometer não olhar. Neste momento, ele sentiu que havia um novo peido a caminho. Quando sua esposa estava prestes a remover a venda, o telefone tocou. Ela o fez prometer de novo que não ia olhar até ela voltar e saiu para atender o telefone.

Enquanto ela estava fora, aproveitou a oportunidade. Jogou seu peso para apenas uma perna e soltou. Não foi apenas alto, mas o barulho parecia mais um ovo fritando. Tendo em vista a dificuldade para respirar, ele procurou pelo guardanapo e começou a abanar o ar em volta de si. Ele estava começando a se sentir melhor quando outro começou a surgir. Ele levantou a perna e RRRRRRIIIIIIIIIPPPPPPPPPPP! Este soou como um motor diesel pegando e cheirou ainda pior. Esperando que o cheiro se dissipasse, começou a sacudir os braços. 

As coisas começaram a voltar ao normal quando veio a vontade outra vez. Ele jogou o peso para a outra perna e soltou. Este foi merecedor de uma medalha de ouro, as janelas vibraram, a louça na mesa sacudiu e um minuto depois, a rosa sobre a mesa morreu.

Enquanto ficava com um ouvido atento à conversa da mulher no telefone e mantendo a promessa de não tirar a venda, ele continuou com este passo por pais 10 minutos, peidando e abanando com os braços e o guardanapo.

Quando ele ouviu a esposa se despedir ao telefone (indicando o fim de sua solidão e liberdade) ele colocou suavemente o guardanapo no colo e cruzou duas mãos sobre ele, sorrindo vitoriosamente. Ele tinha a cara da inocência quando sua esposa entrou. 

Pediu desculpas por ter demorado tanto, ela perguntou se ele tinha olhado a mesa de jantar. Após ter certeza de que ele não olhara, ela removeu a venda e gritou:

"SURPRESA"

Para seu choque e horror, estavam doze convidados na mesa, sentados ao seu redor, para sua festa de aniversário surpresa. 

Moral da história: A verdade sempre aparece.


Nenhum comentário:

Postar um comentário